segunda-feira, 26 de maio de 2008

Características do meio JORNAL - Funções da linguagem



Principais atributos;

SELETIVO – Hábito de leitura do brasileiro apresenta baixo índice em virtude da cultura colonial e estrutura educacional do estado político com histórica deficiência.

FIDELIDADE – Aplicação da criatividade de redação dos jornalistas e repórteres, os primeiros centros de produção de conteúdo de massa, jornais com circulação diária em menos de 3 (três) edições obtêm a cobertura máxima no total de leitores do titulo.

CONTEÚDO EDITORIAL – Jornalistas especialistas em gêneros de assuntos desenvolvem características no tratamento da mensagem, expressão, percepção, abordagem, enfim, linguagem que facilite assimilação do leitor, transformando-o consequentemente no formador de opinião.

REPRODUÇÃO GRÁFICA – O formato convencional possibilita detalhar aspectos dos produtos / serviços com maior riqueza de informações. Aspecto negativo é a qualidade do papel utilizado, circunstancialmente a “curta vida útil”, somado a qualidade da impressão, compromete a entrega do conteúdo editorial.

Existe anunciantes que desenvolvem ação conjunta ao departamento comercial deste meio com novos aplicativos, exemplo, encartes, folhas intercaladas ou cadernos com tipos de papéis superiores.

COBERTURA GEOGRÁFICA - Informação em tempos de telecomunicação é o principal desafio do editorial neste formato de mídia, necessitando de moderno parque gráfico (velocidade de impressão) associado à logística da distribuição dos exemplares entre seus assinantes e pontos de venda.

No Brasil apenas 5 (cinco) títulos de jornais publicam diariamente tiragens diárias de 400 a 200 mil exemplares, tendo a edição de domingo a tiragem duplicada. Desta maneira, interpretamos a cobertura geográfica da sede – jornal, como regional.

A penetração do jornal em classes sociais seletivas concentra sua distribuição, exemplo figurativo; na cidade a área residencial nobre encontra-se na região sul...

Ao verificarmos os relatórios de circulação (I.V.C) dos exemplares constataremos que a cobertura geográfica de uma cidade não é 100%.

Atualidade x Cobertura – A transcrição dos fatos influenciam o leitor em suas atitudes sociais, converte o título do jornal em juiz investigador, gerando cenários no cérebro – leitor, envolvendo em contexto de empatia e cumplicidade.

Ao analisarmos o comportamento de concorrência entre os títulos de jornais na mesma cidade, verificamos que o percentual de sobreposição é reduzido.



Velocidade x Curto efeito da mensagem – A razão na elaboração de um anúncio e a satisfação em atender a necessidade do consumidor, o anunciante poderá obter uma resposta rápida estimulando a publicação em título de jornal com circulação diária e matutina. Anunciante no segmento econômico em ambiente mercantil especulativo utiliza o meio jornal, em maior ênfase, como instrumento de vendas.

No varejo (não anuncia idéias / conceitos) seus anunciantes desenvolvem encartes com acabamento superior ao título de jornal, utiliza-se da operação de distribuição e circulação do jornal como cavalo troiano.

Formula publicitária:

Envolvimento Racional + Formação de Opinião = LEITOR INTEIRADO.

Envolvimento Emocional + Interação = CONSUMIDOR.

Agilidade x Flexibilidade = Oportunidade – Títulos de jornais tem sua circulação caracterizada de Matutino (disponível ao leitor na manhã do dia), Vespertino (disponível na tarde da edição/dia, a partir das 12 horas) e Noturno.

Essa logística na impressão e distribuição é reflexo da concorrência jornalística com mídia eletrônica que instantaneamente abre sua programação para o noticiário.

Periodicidade comum nos principais jornais brasileiros é diária, existe centenas de títulos com circulação diversificada em semanal (1x pôr semana), bissemanal, trisemanal, quinzenal, mensal, etc., boa parte destes títulos classificam-se como meio de comunicação de entidades de classe, cooperativas, bairros, etc.

Maior atributo que o meio jornal deve conquistar é CREDIBILIDADE, informações imparciais, investigação precisa segura, entrevistas, agregando imagens e detalhes que magnetize o leitor. A confiança inerente ao jornalista transforma um único exemplar de uma edição em um documento autenticado e jurídico.

Exemplo ilustrativo:

19h00... O congresso nacional aprova emenda constitucional liberando o financiamento de automóveis em 50 parcelas com teto de juros de 2% ao ano.

19h01... Anunciante assiste a votação através do canal seletivo do senado... tem noção de que a informação poderá ser transmitida nos programas jornalísticos noturnos nos sistemas de transmissão em broadcast (sinal aberto = UHF, VHF).

Entra em contato com equipes comerciais dos principais jornais brasileiros e negocia a publicação de anúncio que será produzido pela própria redação dos jornais, letras “garrafais”:

SOMENTE HOJE, CADASTRAMOS TODOS INTERESSADOS EM TER SEU CARRO O KM, SEM COMPROVAÇÃO DE RENDA... FINANCIAMOS SEU SONHO... número do PABX, endereço eletrônico se transforma em slogan...

Anunciante antecipou concorrência, amplia significativamente sua participação, panorama preciso do potencial de vendas e cadastro de compradores priorizado.

CLASSIFICADOS ( coluna estreita) – Forte atrativo na aquisição do exemplar, fator que provoca aumento de exemplares na edição de Domingo, o “patinho feio” nas redações - sem conteúdo editorial, tem provocado atenção de grandes anunciantes “institucional” explorando suas retrancas com valor de coluna x centímetro reduzido, na busca do leitor atento às ofertas e com impulso de consumo latente.

Tabela de preços complexa, com valores de publicação diferenciada pôr formatos, rubrica, posição, seção, data de edição, noticiário, classificados, caderno temático, anunciante institucional ou de varejo, com cadastro em alguma entidade de classe (exemplo: c/ CRECI, CREA, RH, etc.).

Cadernos temáticos, segmentados, apresentam editorial específico com intuito de viabilizar nicho mercadológico, nestes espaços é comum encontrar o serviço de assessoria de imprensa do anunciante, ampliando o espectro da mensagem em detrimento a freqüência necessária para consolidar a informação.

Promoção, a prática utilizada por editores é freqüentemente questionada na ação para adquirir novos assinantes e antigos assinantes.

A criatividade dos editores em compor formatos de jornal com equilíbrio do espaço físico entre os assuntos de política, economia, esporte, vida social / cotidiano...
no mundo, no país, estado, município, do seu bairro... do leitor, imprimir seus cadernos de classificados, alinhar custos e receitas é um desafio que no Brasil, estimam-se, nos primeiros anos do século XXI encontrará uma população concentrada em áreas com estrutura social básica e urbana, condição econômica estável e uma parcela significativa de habitantes a partir dos 45 anos, com hábito amadurecido, cultura e educações consolidadas, importantes, com poder aquisitivo para adquirir um exemplar do “tradicional” jornal.

Funções de Linguagem

Função referencial ou denotativa:
Transmite uma informação objetiva, expõe dados da realidade de modo objetivo, não faz comentários, nem avaliação. Geralmente, o texto apresenta-se na terceira pessoa do singular ou plural, pois transmite impessoalidade. A linguagem é denotativa, ou seja, não há possibilidades de outra interpretação além da que está exposta.
Em alguns textos é mais predominante essa função, como: científicos, jornalísticos, técnicos, didáticos ou em correspondências comerciais.
Por exemplo: "Bancos terão novas regras para acesso de deficientes". O Popular, 16 out. 2008.

Função emotiva ou expressiva:
Objetivo do emissor é transmitir suas emoções e anseios. A realidade é transmitida sob o ponto de vista do emissor, a mensagem é subjetiva e centrada no emitente e, portanto, apresenta-se na primeira pessoa. A pontuação (ponto de exclamação, interrogação e reticências) é uma característica da função emotiva, pois transmite a subjetividade da mensagem e reforça a entonação emotiva. Essa função é comum em poemas ou narrativas de teor dramático ou romântico.
Por exemplo: "Porém meus olhos não perguntam nada./ O homem atrás do bigode é sério, simples e forte./Quase não conversa./Tem poucos, raros amigos/o homem atrás dos óculos e do bigode." (Poema de sete faces, Carlos Drummond de Andrade)

Função conativa ou apelativa:
O objetivo é de influenciar, convencer o receptor de alguma coisa por meio de uma ordem (uso de vocativos), sugestão, convite ou apelo (daí o nome da função). Os verbos costumam estar no imperativo (Compre! Faça!) ou conjugados na 2ª ou 3ª pessoa (Você não pode perder! Ele vai melhorar seu desempenho!). Esse tipo de função é muito comum em textos publicitários, em discursos políticos ou de autoridade.
Por exemplo: Não perca a chance de ir ao cinema pagando menos!

Função metalingüística:
Essa função refere-se à metalinguagem, que é quando o emissor explica um código usando o próprio código. Quando um poema fala da própria ação de se fazer um poema, por Por exemplo:
"Pegue um jornal
Pegue a tesoura.
Escolha no jornal um artigo do tamanho que você deseja dar a seu poema.
Recorte o artigo."

Este trecho da poesia, intitulada "Para fazer um poema dadaísta" utiliza o código (poema) para explicar o próprio ato de fazer um poema.

Função fática:
O objetivo dessa função é estabelecer uma relação com o emissor, um contato para verificar se a mensagem está sendo transmitida ou para dilatar a conversa.
Quando estamos em um diálogo, por exemplo, e dizemos ao nosso receptor "Está entendendo?", estamos utilizando este tipo de função ou quando atendemos o celular e dizemos "Oi" ou "Alô".

Função poética:
O objetivo do emissor é expressar seus sentimentos através de textos que podem ser enfatizados por meio das formas das palavras, da sonoridade, do ritmo, além de elaborar novas possibilidades de combinações dos signos lingüísticos. É presente em textos literários, publicitários e em letras de música.

Por exemplo: negócio/ego/ócio/cio/0

Na poesia acima "Epitáfio para um banqueiro", José de Paulo Paes faz uma combinação de palavras que passa a idéia do dia-a-dia de um banqueiro, de acordo com o poeta.

3 comentários:

Anônimo disse...

+++ oque é isso no fundo????Gelo???? que brega

Ruyzao disse...

Boa a idéia do site... Mas por favor, muda esse fundo... Se o assunto do site é mídia, é inadimissível um fundo que confunde o leitor e atrapalha o entendimento da mensagem... Valeu???

jcnavegador disse...

Atento as considerações (até que apropriadas) estarei fazendo as alterações. Grato pelas sugestões.

Jc D´Alm